Bem-Vindo, Visitante
Username: Password: Lembrar-me

Pesquisa no Fórum

Assuntos Diversos
  • Página:
  • 1

TÓPICO: Até onde você estaria disposto a ir confiando apenas no GPS do seu carro?

Até onde você estaria disposto a ir confiando apenas no GPS do seu carro? 16 Jun 2011 19:00 #74826



“Siga em frente!” Estremeci quando, em uma noite chuvosa, ouvi de uma voz robótica, dentro do meu carro, essas três palavras. Elas podem parecer inocentes ou até mesmo inspiradoras para você. Porém, eu provavelmente estaria morto agora caso tivesse dado ouvidos àquela voz segura, com um português carregado, que insistia em contrariar a razão.

Sempre vivi sozinho. Não tenho muitos amigos e tenho menos ânimo ainda para conhecer novas pessoas. Desde pequeno, sempre foi assim. Quando cheguei à idade adulta, achei que deveria ao menos sair de casa. Ou melhor, sair da casa em que vivia. Assim, tirei a carteira de motorista e comprei um trailer para cair no mundo.

Quer dizer, eu esperava cair no mundo. Novamente meu medo me impediu e o estacionei na esquina de onde morava. Lá permaneci por muito tempo. Meses, eu diria. Até que descobri algo que poderia mudar a minha vida. Aliás, a promessa era justamente esta: ao seu lado, em qualquer lugar do planeta.

Esse era o slogan do meu primeiro e único GPS. Confesso que fiquei encantado nos primeiros dias e até me animei a dar umas voltas no quarteirão. “Vire à esquerda”, dizia uma voz robótica da qual me tornei tão íntimo que, em alguns momentos, tinha vontade de responder. “Claro, estou virando”. De fato, respondi algumas vezes.

A maneira segura como aquele aparelho me mostrava onde eu estava me inspirou confiança. Deixei a quadra e, em poucos dias, já circulava por quatro ou cinco ruas da cidade com tanta propriedade que não tenho palavras para explicar. Era como se um mundo novo estivesse sendo descoberto à minha frente a cada instante.

Um pequeno passo para um homem



Depois de alguns meses já conhecia a minha cidade inteira e me sentia seguro, apenas seguindo três comandos: “vire à esquerda”, “vire à direita” e “siga em frente”. Eu havia passado tanto tempo fechado em casa quando descobri que a vida poderia se resumir a apenas três opções. Era a hora de ganhar o mundo.

Escolhi deixar Curitiba e partir para Oiapoque, cidade localizada no extremo norte do Amapá. Fiquei assustado, é claro, mas encarei o desafio. Poderia rodar o Brasil usando apenas um aparelho. Meu fiel GPS, perfeito, e que até então nunca havia me deixado na mão, nem por um segundo.

Ajustei o banco do motorista e os espelhos retrovisores, afivelei o cinto de segurança, soltei o freio de mão e dei a partida na ignição. Mal sabia eu que iniciava uma jornada caótica Brasil afora. O Oiapoque eu jamais veria e o fim de minha vida poderia ter chegado antes mesmo de eu sair do Estado de São Paulo.

Não me siga, eu também estou perdido



O primeiro contratempo da minha jornada aconteceu numa estrada de terra, logo na divisa entre o Paraná e São Paulo. O GPS me dizia para eu ir em frente, mas por alguma razão, a estrada estava interditada. Programei-o rapidamente para que ele me apontasse um caminho alternativo e segui por uma estrada escura e em péssimas condições.

À medida que eu seguia em frente, a situação piorava. Era noite e chovia. Não havia iluminação em nenhuma das laterais da pista. Estava entrando em um novo mundo, lúgubre, ermo e amedrontador. Achei que não seria possível, mas as coisas ainda iam piorar. Sim, não tenha dúvidas de que sempre as coisas podem piorar.

Quanto mais eu seguia em frente, mais a chuva caia torrencialmente. Diminuí a velocidade, mas com medo de ficar atolado em meio à pista de terra, continuei avançando noite adentro. Relâmpagos e trovões eram minha única trilha sonora naquele instante e mesmo a bela voz do GPS soava quase inaudível em meio àquela turbulência.

Entrando em pânico



Depois de suportar aqueles que até então haviam sido os 20 minutos mais tensos de toda a minha vida, percebi que aos poucos a chuva diminuía. Por outro lado, esse já não era o meu principal problema. Por alguma razão inexplicável, meu fiel companheiro de viagem se perdeu em meio à sua nova rota. Uma piscada na tela foi o sinal definitivo.

Ao olhar para a tela percebi que não estava mais naquele pequeno caminho de terra. Ele havia dado lugar a um espaço em branco, grande e vazio. Era como se eu estivesse no meio do nada. Bom, de fato eu estava no meio do nada, mas ao menos trafegava por uma rua. Mas, para o GPS, era como se aquela rua nunca tivesse existido.

Encostei o carro na beira da estrada e tentei reconfigurar o meu GPS. Foi em vão. Parecia que toda a sua memória tinha sido apagada com a tempestade. Voltar pelo mesmo caminho não era a melhor das soluções já que o indicador de combustível estava no vermelho e muito provavelmente não eu não conseguiria voltar à estrada com segurança.

No meio do nada e completamente sozinho, pela primeira vez entrei em pânico. Nunca tinha tomado decisões. Toda aquela rota havia sido traçada por um competente GPS e não havia razão alguma para que, de uma hora para outra, ele deixasse de fazer isso ou mesmo quisesse me colocar à prova.

Para o infinito e além

Devo ter ficado pelo menos umas duas horas ali, refletindo e tentando fazer aquele GPS voltar a funcionar. Não era possível que eu estivesse no meio do nada há tanto tempo. Precisava de uma solução para chegar a algum lugar, qualquer lugar que fosse. Fiz um cálculo rápido da situação do meu combustível e me dei conta de que tinha forças apenas para mais uns 10 quilômetros.

No dia mais difícil da minha vida, tomei uma decisão. Na verdade não foi bem uma decisão, pois apenas segui o conselho que o meu GPS havia dado algumas horas atrás: “siga em frente”. Os últimos 10 quilômetros que percorri me deram a sensação que eu caminhava em direção a algo ruim, que eu não poderia imaginar o que era.

Passei por plantações e criações de gado e vi a estrada de terra acabar e se transformar em uma clareira no meio do mato. Dez quilômetros depois e eu não tinha chegado a lugar nenhum. Estava no meio do nada, perdido. Meu GPS mostrava ainda a mesma mensagem para ir em frente.

À beira da morte, literalmente



Perdi as esperanças. Desisti de tentar encontrar um destino para voltar à civilização. Decidi ir em frente, por quanto tempo fosse possível. Não iria muito longe, já que meu combustível quase não existia mais. Acelerei o carro e segui lentamente o meu martírio no meio daquele matagal. Depois de uns cinco minutos, sai de uma mata fechada e me vi em meio a uma clareira.

Misteriosamente meu GPS deu sinal de vida. Não houve nenhuma alteração no mapa. Eu continuava no meio do nada. Mas uma breve mensagem, vinda daquela voz robótica, me encheu de esperanças novamente. “Siga em frente”, ela me disse. Eu não poderia imaginar o quão traumático isso poderia se tornar depois.

Acelerei o carro o máximo que pude. Queria de todo jeito deixar aquela travessia para trás. Porém, sem combustível, meu carro me deixou na mão. Mesmo acelerando, a velocidade foi diminuindo aos poucos, lentamente, até o carro parar por completo. De dentro dele eu não conseguia visualizar com clareza, mas a sensação era de que logo em frente eu encontraria mesmo uma resposta. Parado, consultei o GPS pela última vez. A mensagem não havia mudado.

Desci do carro e caminhei em frente por mais uns 100 metros. E, ao fazer isso, quase tive um ataque cardíaco. Se a gasolina não tivesse acabado e eu tivesse seguido em frente, em questão de segundos teria caído em um abismo. Sim, um abismo. As palavras “siga em frente” ainda ecoavam na minha cabeça. Meu GPS estava tentando me matar.

Você confiaria sua vida a uma máquina?



Se estou contando esta história, você já deve ter percebido que sobrevivi. Fui encontrado horas depois por um morador daquela localidade, que me levou para uma cidade mais próxima. De certa forma, fui transformado pela experiência. Sabe aquela sensação de ser enganado pelo seu melhor amigo? Sentia-me assim em relação ao GPS.

Isso aconteceu há dois anos. Dois anos se passaram e eu ainda não me recuperei com relação aos sistemas de geolocalização. Simplesmente não consigo mais acreditar neles. Quando recebo atualizações do FourSquare dos meus amigos, penso logo que eles possam estar em qualquer lugar, menos no ponto indicado no mapa.

Não sei se você confia cegamente como eu em um GPS. Se sim, acho bom você pensar duas vezes. Essas coisas têm vida própria, posso garantir. Elas nos levam para onde bem entendem e, se você não for muito esperto, assim como eu, certamente poderá acabar na beira de um precipício.

Nunca soube o que aconteceu com o meu GPS. De fato, não falei mais com ele e cortamos relações. Tomar a decisão de destruí-lo foi a coisa certa. Se não o fizesse, certamente o aparelho estaria por aí, levando outras pessoas inocentes como eu para um mau caminho. Sei que o problema era com ele, não comigo. E, se eu fosse você, faria o mesmo e destruiria agora o seu GPS, enquanto ainda há tempo.

Leia mais em: www.tecmundo.com.br/...ar.htm#ixzz1PTUvhsil
  • Adailton Jr.
  • Moderador
  • "Leia e tente que você consegue!!!"
  • Adailton Jr.'s Avatar
  • OFFLINE
  • Postagens: 743
  • Agradecimentos: 1457
  • Registro em: 24/09/2010
    Ult. Visita: 09/12/2016
"Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina"

:!Clique aqui, faça sua doação de qualquer valor, e ajude a manter o GPSPoint no ar !!!:!
Última Edição: 16 Jun 2011 19:02 por Adailton Jr..
O administrador desabilitou o acesso público de escrita.
Os seguintes usuários disseram Obrigado: Sherlock

Re: Até onde você estaria disposto a ir confiando apenas no GPS do seu carro? 16 Jun 2011 21:31 #74854

Boa a estoria,mas com certeza esse camarada nao fazia parte do GPS POINT!!B) B)
  • Fabio Cuco
  • Usuário Platinum
  • Fabio Cuco's Avatar
  • OFFLINE
  • Postagens: 404
  • Agradecimentos: 48
  • Registro em: 13/11/2010
    Ult. Visita: 06/04/2016
GPS Foston 470 DTV
GPS Orbiter 350 Collor Plus
Última Edição: 16 Jun 2011 21:32 por Fabio Cuco.
O administrador desabilitou o acesso público de escrita.

Re: Até onde você estaria disposto a ir confiando apenas no GPS do seu carro? 27 Jun 2011 22:54 #76685

Boa história, belo tema para debate...

Sk
  • Sherlock
  • Gerente
  • Sherlock's Avatar
  • OFFLINE
  • Postagens: 5958
  • Agradecimentos: 8101
  • Registro em: 04/09/2010
    Ult. Visita: 28/11/2016
Faça uma doação de qualquer valor e ajude a manter o GPSPoint no ar!
O administrador desabilitou o acesso público de escrita.
  • Página:
  • 1
Time to create page: 0.273 seconds