Bem-Vindo, Visitante
Username: Password: Lembrar-me

Pesquisa no Fórum

Assuntos Diversos
  • Página:
  • 1

TÓPICO: Airbag não soluciona problema de veículos nacionais inseguros

Airbag não soluciona problema de veículos nacionais inseguros 26 Mai 2013 13:30 #194337

ENTREVISTA ALEJANDRO FURAS

Airbag não soluciona problema de veículos nacionais inseguros
Para diretor do NCAP, governo deveria banir carros sem estrutura resistente a impactos

FELIPE NÓBREGA
DE SÃO PAULO
A edição 2013 do Latin NCAP (programa de avaliação de veículos novos para a América Latina) será divulgada nas próximas semanas e revelará o nível de segurança de mais cinco carros comercializados no Brasil.

Alejandro Furas, diretor técnico do Global NCAP, adianta que as aferições ficarão mais rigorosas na América Latina e sugere aos órgãos de trânsito que incluam testes de impacto seguindo as normas europeias nas provas de homologação dos veículos nacionais.


Folha - Qual é a importância do Latin NCAP para o consumidor?

Alejandro Furas - Os motoristas na América Latina ainda têm uma baixa expectativa em relação ao nível de segurança dos automóveis. Acreditam que basta sair vivo de um acidente para caracterizá-lo como "bom". Mas não seria melhor se o carro tivesse tecnologias que evitassem lesões mais graves?

Esse é um dos propósitos do Latin NCAP, que o consumidor saiba antes de comprar um veículo qual é o índice de resistência a impactos oferecido aos ocupantes. A integridade física da família é uma questão que sensibiliza o consumidor.

E qual é a importância dos testes de impacto para a indústria automobilística?

Para as montadoras, o Latin NCAP funciona como um novo diferencial competitivo. Uma marca pode mostrar que seu produto oferece nível de segurança superior ao de rivais e até justificar um possível sobrepreço por causa disso. Algumas empresas até estampam os resultados dos testes em publicidade.

Quando o NCAP foi lançado há mais de 15 anos na Europa, os fabricantes tentaram boicotar a iniciativa. Mas bastou a Renault conquistar cinco estrelas em um teste de segurança do sedã Laguna (e ter divulgado amplamente o fato) para que outras marcas logo apressassem o desenvolvimento de veículos nota máxima também.

Desde que o Latin NCAP foi criado, em 2010, os carros populares nacionais sem airbag receberam menos de três estrelas nos testes, nota mínima para serem classificados como seguros. A adoção desse item e do freio ABS como obrigatórios a partir de 2014 no Brasil pode contribuir para uma melhora?

Os governos deveriam exigir bem mais do que a adoção de acessórios de proteção.

Nossos testes demonstraram que o airbag não é a solução para carros [estruturalmente] inseguros. É possível um automóvel equipado com duas bolsas infláveis receber apenas uma estrela, caso do JAC J3 [2012]. Para um carro ter autorização de venda, o poder público deveria aplicar normas técnicas que avaliassem a segurança do veículo em uma batida.

É verdade que um modelo de mesma marca e desenho pode ter diferentes níveis de resistência dependendo do mercado ao qual é destinado?

Testes mostraram que carros idênticos podem ter desempenhos díspares nos testes de impacto. Não só pela maior quantidade de itens do modelo, mas também pelos materiais que compõem a estrutura do veículo.

Como seria a fiscalização?

Entre as normas sugeridas pelas Nações Unidas, existe uma que trata da "conformidade de produção", que obrigaria as montadoras a fornecerem, de forma aleatória, carros de sua linha de produção para que fossem submetidos a novos testes de impacto. Dessa forma, é possível confrontar os resultados entre os modelo construídos para os testes de homologação e os que efetivamente são destinados ao consumidor.

Quais serão as novidades para a edição 2013 do Latin NCAP, que será divulgada em julho?

A ideia é apresentar ao menos mais cinco veículos [comercializados na América Latina] nessa primeira etapa. Após outubro [quando novos modelos serão lançados], podemos divulgar outros resultados. Por enquanto, posso adiantar que o Latin NCAP passará por mudanças. Não na metodologia dos testes, mas no sistema de avaliação, que ficará mais criterioso, inicialmente para os ocupantes adultos.

Agora, para obter cinco estrelas, o carro terá de atingir pontuação mais alta, possuir ABS de quatro canais, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionadores e passar por teste de impacto lateral. Essas etapas [que até agora não faziam parte dos testes na América Latina] serão obrigatórias para todos os veículos. A mudança na pontuação irá penalizar com mais rigor os modelos com nível muito baixo de segurança.

Qual é o critério de escolha dos carros avaliados?

Escolhemos pela relevância comercial ou por alguma particularidade. Os ensaios são realizados em laboratório independente na Alemanha e se baseiam em normas sugeridas pelas Nações Unidas, mas com uma velocidade mais alta -64 km/h, e não 56 km/h. O Latin NCAP também recebe solicitações de montadoras e está aberto a pedidos de governos e outras organizações. Em todos os casos, o Latin NCAP compra o veículo em uma concessionária, como um consumidor comum.

Com base nos testes do Latin NCAP, a agência americana Associated Press publicou recentemente uma reportagem na qual os carros brasileiros foram descritos como "mortais". O termo é correto?

Se analisarmos os resultados dos testes, pode-se concluir que os níveis médios de proteção para crianças são muito baixos. Em relação aos adultos, parte dos modelos recebeu três ou quatro estrelas, mas esses carros não representam a maior parcela da frota circulante na região.

Se olharmos os modelos que obtiveram zero ou apenas uma estrela, veremos que alguns deles figuram entre os modelos mais vendidos -ao menos 450 mil unidades por ano. Isso preocupa o Latin NCAP e deveria preocupar a todos.

Acreditamos que a tese traz elementos contundentes que questionam a segurança de carros feitos na América Latina. É claro que enquanto os governos não exigirem, as montadoras não irão produzir carros sofisticados do ponto de vista da segurança.

Fonte: Folha de S. Paulo, hoje, 26/05


Opinião pessoal: considerando que o consumidor brasileiro é o que mais paga pelo valor de um carro no mundo, bem como aquele que recebe o produto sem itens mínimos de segurança, tais como freios ABS, air bag duplo e barra de proteção lateral, nada mais justo que o governo exija das montadoras, pelo menos isto: uma estrutura que de fato resista a impactos sem danos sérios aos ocupantes. O bem-estar do povo deve vir em primeiro lugar.

NNunes.
  • NNunes
  • Moderador
  • NNunes's Avatar
  • OFFLINE
  • Postagens: 1838
  • Agradecimentos: 725
  • Registro em: 15/09/2011
    Ult. Visita: 05/12/2016
O administrador desabilitou o acesso público de escrita.

Airbag não soluciona problema de veículos nacionais inseguros 26 Mai 2013 15:35 #194349

NNunes

Excelente este assunto. Quem estiver com algum tempo e quiser dar uma espiada, abaixo link do vídeo com Crash Test de SUV's (vários modelos). É muito interessante ver NA PRÁTICA a reação dos Air-Bags de cada veículo e também a importância e a DIFERENÇA entre ter apenas o air bag frontal e ter o frontal + lateral + outros

g1.globo.com/autoesp...tal-nos-eua/2587784/

Assunto muito bacana NNunes, ainda mais, como você bem destaca, levando em conta os altos custos que aqui nós somos obrigados a pagar, que é o mesmo que despejar pelo ralo do banheiro ...

Sk
  • Sherlock
  • Gerente
  • Sherlock's Avatar
  • OFFLINE
  • Postagens: 5958
  • Agradecimentos: 8098
  • Registro em: 04/09/2010
    Ult. Visita: 28/11/2016
Faça uma doação de qualquer valor e ajude a manter o GPSPoint no ar!
O administrador desabilitou o acesso público de escrita.

  • Página:
  • 1
Time to create page: 0.608 seconds