Avaliação do Usuário: / 59
PiorMelhor 

A vida corrida de hoje em dia virou um argumento relevante, embora não válido, para a falta de exercícios da maior da parte da população. Apesar da expectativa de vida ter aumentado consideravelmente, e existir opções viáveis como as famosas academias, é fato que muitas pessoas vivem uma vida sedentária, o que por sua vez leva a outros problemas mais graves como ansiedade, por exemplo. Independente do motivo de não se fazer, é uma boa hora de procurar motivos para fazer exercícios. E saiba porque isto é importante.

O problema do “Ficar Bonito”

Além da falta de tempo, outra desculpa dada para a falta de exercícios é a questão da valorização da beleza corporal. Não é novidade para ninguém que os padrões de beleza são muito influentes na cultura atual, direta ou indiretamente. Pessoas bonitas com corpos bem trabalhados chamam atenção, facilitam o contato social, entre outros fatores que pouco tem haver com caráter ou uma motivação saudável.

 

Para quem pouco se importa com beleza, ver os resultados de uma academia e seus similares acabam desencorajando a prática de uma atividade física. Antes de procurar a beleza (o que, no final das contas, não significa nada), realizar exercícios ajuda em muitos aspectos, como ânimo para as atividades diárias, diminuição do stress, estimula os hormônios, etc. E para ser honesto, nem todo mundo muda fisicamente por fazer uma caminhada diária. Não é necessário o treinamento do Rocky Balboa ou do Karate Kid; um esforço, ainda que pequeno, faz a diferença no dia-a-dia. O que nos leva a outro tópico:

Fazer exercícios não o torna um atleta

Tem quem ache que fazer muitos exercícios irá torná-lo um atleta, ou algo próximo a isso. De fato, fazer exercícios garante resistência a vários tipos de doenças geradas, entre outros fatores, pelo sedentarismo, como osteoporose, câncer de mama e resfriados, por exemplo. Porém, esta é uma vantagem conseguida apenas em relação a quem não pratica exercícios.

Atletas trabalham o corpo para um esporte. A quantidade de horas dedicadas a exercícios específicos, a dieta rigorosa, a rotina das competições... todas estas atividades são realizadas em outro nível, muito além de um mero praticante. Assim, para quem precisa realizar exercícios físicos, como dito acima, não é necessário fazer algo atenuante, apenas a quantidade de acordo com suas limites. Superar a si mesmo é uma tarefa importante, em qualquer proporção.

Direcione os exercícios físicos

Então você decidiu fazer uma caminhada, alguns exercícios leves para os braços ou pernas, até chegou ao ponto de uma ginástica completa. E agora? Aqui entra o ponto em que a maior parte daqueles que se entusiasmaram passam lentamente a desistir. É comum muitos praticantes de primeira viagem deixarem os exercícios de lado quando os resultados não são expressivos ou pelo simples “fazer por fazer”, satisfazendo uma curiosidade ou desejo.

Para contornar este problema, procure um direcionamento ao realizar seus exercícios físicos.  Mesmo uma motivação forte pode se perder caso não tenha um rumo bem definido. Assim, antes de começar suas atividades, tenha um objetivo: emagrecer? Ficar mais animado para encarar o rotina? Tratar algum problema de saúde? Essa é a base, e o quanto será dedicado cabe a você.

Publicidade