Avaliação do Usuário: / 8
PiorMelhor 

Para quem quer curtir a viagem de maneira mais agradável, ou usar o carro como um grande aparelho de áudio em reuniões com os amigos, ter um bom equipamento de som é essencial. Mas não basta ter apenas um aparelho potente e moderno; é necessário saber utilizá-lo para aproveitá-lo ao máximo. Assim, preparamos um rápido guia para seus equipamentos de som, para deixar seu veículo ainda mais turbinado. Aqui não estão todas as informações importantes, o que prometo trazer em posts futuros.

Como utilizo o Equipamento de Som?

Até os primeiros anos da última década, o sistema de som de um veículo restringia-se aos CD players com opção de rádio AM-FM. Hoje, existem sistemas que comportam conexão bluetooth e entradas para pendrives, além de monitores de pequenas polegadas para assistir a DVDs e outros vídeos. De um simples aparelho, hoje o equipamento pode se tornar uma estação multimídia completa.

Na prática para o motorista, as atualizações apenas acrescentaram mais opções, não deixaram os aparelhos mais complexos de se mexer. Tudo é programado para deixar ainda mais fácil. Contudo, o que influencia na qualidade do som do seu carro é a escolha correta entre player e os demais componentes – os alto-falantes.

 

Tipos de Alto-Falantes

O sistema de som de um automóvel não se restringe unicamente a seus recursos no player. Os alto-falantes também possuem grande importância no equipamento de som, e existem diversos tipos como você pode ver abaixo:

Coaxial – É formado por dois alto-falantes menores, um Tweeter e um Woofer. O tamanho varia de 3'' a 6X9'', e nos tamanhos profissionais, de 12'' a 15'', o Tweeter é trocado por um corneta. Em ambos os casos, ele já conta com uma borda de borracha, para suportar o som;

Cornetas – Peça versátil devido a sua instalação a parte ou não do sistema de som, a corneta reproduz frequências médias e agudas. Sua composição é feita em metal ou plástico;

Full Range – Apesar da propaganda envolvendo sua potência, ainda não existe um alto-falantes que capte todas as frequências audíveis. À parte deste detalhe, o Full Range não deixa de ser uma boa opção para carros de médio e grande porte. São feitos com papel e uma borda rígida, variando de 3'' a 6'' em tamanho. Uma variação deles engloba um cone menor e um difusor de agudos, reproduzindo melhor as frequências mais altas;

Mid Range – É o equipamento que capta frequência existente em quase todos os instrumentos musicais (de 200 Hz a 5 KHz), e praticamente obrigatório em qualquer equipamento de som. Possui tamanho entre 3'' e 4'';

Subwoofers – São alto-falantes voltados para frequências muito graves, abaixo de 120 Hz. Também são um dos maiores em tamanho, variando entre 8'' e 21''. Devido a isso e ao peso, são difíceis de manusear na instalação, além de exigir muita potência para fazê-los funcionar. Coloque apenas se seu veículo possuir capacidade para tamanha potência;

Tweeter – São os responsáveis por reproduzir as frequências agudas, que variam de 2 Khz a 20 Khz, e são bem diminutos, entre 0,5'' a 3'', e por isso muitas vezes compõem outros falantes maiores.

Woofers – É o responsável pelas frequências graves, embora num nível diferente do Subwoofer, entre 100 Hz a 1 Khz. Apesar de possuir uma borda rígida e tamanho próximo do Subwoofer, entre e 5'' e 18'', sua instalação é mais fácil de ser feita.

Escolha os alto-falantes que mais se adaptam não só ao seu player, como também ao design do próprio veículo: equipamentos muito grandes interferem no desempenho do veículo, além de deixar todo o sistema de som defasado.

Com o sistema instalado, hora de saber dos cuidados essenciais para instalação do equipamento de som.

Dicas para instalação do Equipamento de Som

A instalação de um equipamento de som, como qualquer outro dispositivo, deve ser realizado em uma oficina. Se você tem algum seguro para o automóvel, é possível que eles possuam indicações de locais próximos a sua cidade que realizem a instalação. Ou também é possível que a própria fabricante do carro realize o procedimento, o que garante maior segurança na instalação (e na garantia do equipamento), porém custa muito mais caro.

Quando conseguir uma oficina que faça a instalação do equipamento de som, tenha certeza de que o profissional selecionado possua alguma especialização no assunto. Instaladores mal preparados normalmente realizam remendos na fiação, ou rapidamente se prontificam a fazer “reparos” mesmo quando não existem problemas, o que pode causar riscos de curto-circuitos ou panes na injeção eletrônica. Bons indicadores de que o profissional é qualificado são cursos voltados para a área e credenciais de fábricas.

Publicidade